Weblogue colectivo do projecto Mediascópio - CECS / Universidade do Minho | RSS: ATOM 0.3 |




Envie este post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Conselho Deontológico "iliba" directora da Lusa Num dos raros pareceres emitidos nos últimos anos sobre questões do seu foro, o Conselho Deontológico (CD) do Sindicato dos Jornalistas apoiou hoje as posições da Directora de Informação da Lusa, Deolinda Almeida, tendo, ao mesmo tempo criticado o comportamento de três jornalistas e do Conselho de Redacção (CR) da agência. O motivo da tomada de posição foi a polémica suscitada por notícias da Lusa sobre a cobertura da rede escolar com acesso à Internet de banda larga. A directora de Informação, Deolinda Almeida, assim como o editor de Nacional, haviam sido acusados de ceder a pressões externas, nomeadamente da parte de uma assessora ministerial. O CD rejeitou ter havido tais cedências. E relativamente à má imagem da agência que, seundo o CR, poderia ter decorrido de correcções a notícias anterirmente publicadas, o mesmo órgão do Sindicato considera que "a ausência de rectificações ou correcções - quando estes se justificam, como foi o caso - é que pode deixar maculada a imagem de isenção, de rigor e de transparência da Agência". Sobre o trabalho das três jornalistas directamente envolvidas na elaboração das peças que originaram a polémica, o Conselho Deontológico considera que elas "não respeitaram o princípio deontológico do contraditório, incorrendo numa falha profissional grave". NOTA - Numa primeira leitura, o parecer do Conselho Deontológicoassenta num pressuposto que pode ser, pelo menos, objecto de debate. O CD considera que as jornalistas não respeitaram o princípio do contraditório. Mas a verdade é que se poderia entender que a procura de informação junto das escolas (esqueçamos agora se bem ou mal recolhida) já constituía o exercício do contraditório, visto que o que estava a ser verificado era se Sócrates estaria a falar verdade, quando disse que todas as escolas se encontravam ligadas por uma rede de banda larga. É claro que, uma vez apurado que havia escolas não ligadas - caso isso fosse certo - as jornalistas poderiam voltar outra vez a confrontar os autores da afirmação inicial. Mas isso poderia significar um interminável processo, susceptível de comprometer, em última análise, a própria notícia. Foi, de resto, assim, que eu entendi, no comunicado do CR, a opinião de que a notícia inicial poderia ter saído sem o contraditório. Se, por hipótese, em vez de recolherem umas informações pelo telefone, tivessem verificado in loco que nem todas as escolas se encontravam ligadas, a notícia não merecia ser publicada? Sublinho que, com isto, não pretendo justificar ou contestar a actuação de qualquer das partes. Acho é que a assertividade do parecer do CD, neste ponto e na circunstância específica, pode comportar alguma debilidade. actualização (a 17.2): HÁ QUALQUER COISA AQUI QUE NÃO BATE CERTO Segundo o Público, o deputado Agostinho Branquinho, do PSD, "acusou ontem a directora de informação da agência Lusa, Deolinda Almeida, de ser 'comissária política do Governo', atendendo à sua actuação perante o tratamento noticioso da instalação de Internet de banda larga nas escolas públicas. Numa intervenção realizada no período antes da ordem do dia, na Assembleia da República, o deputado (...) frisou ainda que a responsável 'insultou', num 'claro acto de intimidação', as três jornalistas que contactaram responsáveis por diversas escolas que asseguraram não ter acesso à banda larga". Ora acontece que a directora de Informação da Lusa só hoje vai ser ouvida no Parlamento, para esclarecer precisamente os aspectos sobre os quais o deputado Branquinho já tem conclusões. Isto é aceitável?


0 resposta(s) para “”

Responder





Quem somos

» Manuel Pinto
» Helena Sousa
» Luis Antonio Santos
» Joaquim Fidalgo
» Felisbela Lopes
» Madalena Oliveira
» Sara Moutinho
» Daniela Bertocchi
» Sergio Denicoli

» E-MAIL

Últimos posts

» Balsemão interessado na PT Multimédia Pinto Balse...
» A rusga ao 24 Horas: inquietações As buscas na re...
» Blogues: encontros no Porto e em Madrid Na Univer...
» Comunicação Estratégica
» "Dez leis do Abrupto sobre os debates na blogosfer...
» Tendências dos media em Espanha "Tendencias '06 M...
» tv menos Sobre as reformulações introduzidas pela...
» "A guerra das civilizações não existe" Não sei se...
» Primeira página do DN A mim causou-me alguma estr...
» Tabloidização do jornalismo

Ligações


Arquivos

» Abril 2002
» Maio 2002
» Junho 2002
» Julho 2002
» Agosto 2002
» Setembro 2002
» Outubro 2002
» Novembro 2002
» Dezembro 2002
» Janeiro 2003
» Fevereiro 2003
» Março 2003
» Abril 2003
» Maio 2003
» Junho 2003
» Julho 2003
» Agosto 2003
» Setembro 2003
» Outubro 2003
» Novembro 2003
» Dezembro 2003
» Janeiro 2004
» Fevereiro 2004
» Março 2004
» Abril 2004
» Maio 2004
» Junho 2004
» Julho 2004
» Agosto 2004
» Setembro 2004
» Outubro 2004
» Novembro 2004
» Dezembro 2004
» Janeiro 2005
» Fevereiro 2005
» Março 2005
» Abril 2005
» Maio 2005
» Junho 2005
» Julho 2005
» Agosto 2005
» Setembro 2005
» Outubro 2005
» Novembro 2005
» Dezembro 2005
» Janeiro 2006
» Fevereiro 2006
» Março 2006
» Abril 2006
» Maio 2006
» Junho 2006
» Julho 2006
» Agosto 2006
» Setembro 2006
» Outubro 2006
» Novembro 2006
» Dezembro 2006
» Janeiro 2007

Livros

TV do futebol

» Felisbela Lopes e Sara pereira (orgs) A TV do Futebol; Porto: Campo das Letras

» Televisão e cidadania. Contributos para o debate sobre o serviço público. Manuel Pinto (coord.), Helena Sousa, Joaquim Fidalgo, Helena Gonçalves, Felisbela Lopes, Helena Pires, Luis António Santos. 2ª edição, aumentada, Maio de 2005. Colecção Comunicação e Sociedade. Campo das Letras Editores.

» Weblogs - Diário de Bordo. António Granado, Elisabete Barbosa. Porto Editora. Colecção: Comunicação. Última Edição: Fevereiro de 2004.

» Em nome do leitor. As colunas do provedor do "Público". Joaquim Fidalgo. Coimbra: Ed. Minerva. 2004

» Outras publicações do CECS

Eventos

» Conferência: A Nova Entidade Reguladora no quadro das políticas de Comunicação em Portugal (2006)

» I Congresso Internacional sobre Comunicação e Lusofonia (2005)

» Jornadas ?Dez Anos de Jornalismo Digital em Portugal: Estado da Arte e Cenários Futuros? (2005)

» Todos os eventos







Subscribe with Bloglines


Technorati Profile Powered by Blogger and Blogger Templates