Weblogue colectivo do projecto Mediascópio - CECS / Universidade do Minho | RSS: ATOM 0.3 |



Público possibilita debate sobre foto de capa


Envie este post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



O Público realizou ontem, pela primeira vez, uma experiência junto dos seus leitores online, no sentido de debater a eventual publicação de uma fotografia considerada chocante. Por considerar que se trata de uma questão que vale a pena ser explorada, atrevo-me a reproduzir aqui o conteúdo de uma nota publicada hoje pelo jornal, e que está disponível apenas para subscritores: "Durante a tarde de ontem, as redacções dos jornais receberam dezenas de fotos muito chocantes do desastre da Nigéria. O PÚBLICO escolheu uma imagem menos chocante e colocou à discussão dos leitores no seu site se ela poderia ser uma opção para a primeira página do jornal de hoje. Um exercício que tinha o objectivo de discutir no espaço público o tipo de decisões que os media tomam todos os dias, quase a toda a hora. A maioria dos que manifestaram a sua opinião defendeu que a foto não deveria ser publicada em primeira página por várias razões: por ser demasiado chocante, por não acrescentar nada à informação, por poder ser vista por qualquer pessoa nas bancas, por explorar de forma sensacionalista um acontecimento trágico. Houve também quem apoiasse a publicação em primeira página e muitos defenderam a sua publicação no interior do jornal. A experiência foi um êxito - recebemos durante as primeiras horas mais de um comentário por minuto, o que mostra o interesse dos nossos leitores na discussão deste tipo de temas. Por isso, vamos repetir no futuro este convite aos leitores. A discussão que ontem teve lugar no nosso site pode ser lida em: http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1257011." [Nota: A imagem em questão pode ser acedida através do link indicado.] A fotografia que acabou por ser escolhida para a primeira página do Público é uma imagem das celebrações ocorridas ontem em Fátima, existindo porém uma chamada de capa sobre a explosão no oleoduto (mas sem imagem). Acrescento, aliás, que numa rápida ronda que fiz a 75 capas de jornais europeus disponibilizadas na Internet, apenas um jornal italiano (Il Gazzettino) colocava em primeira página uma fotografia relacionada com este acontecimento, embora nesse caso a imagem seja perfeitamente inócua. Foi interessante ler, ontem à noite, os comentários que foram deixados pelos leitores, e confesso que tinha bastante curiosidade em ver qual a decisão que o Público iria tomar. A publicação de imagens que possam impressionar os leitores está longe de ser consensual, mas o que me parece positivo neste caso é o facto de o jornal ter dado a palavra aos leitores, e ter ouvido o que estes tinham para dizer. Passo a passo, parecem estar a ser encontradas formas de efectivamente tornar a versão digital do jornal mais interactiva. Para já, por exemplo, é possível comentar as notícias de Última Hora. Talvez um dia essa possibilidade seja alargada às notícias que integram o corpo do jornal... Um pouco menos positivo, na minha opinião, é o facto de o Público não apresentar, no texto que reproduzi, qualquer justificação sua para a não publicação da imagem em questão. Certamente deve ter havido algum debate na redacção sobre este assunto e, como leitora, gostava de ter uma ideia dos critérios editoriais que sustentaram a decisão, algo que não é sequer mencionado. Muito embora veja com agrado uma abertura à participação dos leitores em questões desta natureza, julgo que, se o jornal pretende mesmo "discutir no espaço público o tipo de decisões que os media tomam todos os dias", também deve contribuir para esse debate. Isto é, não se limitar a ouvir os leitores (o que, insisto, já é algo muito positivo!), mas também apresentar os seus próprios argumentos. Caso contrário, quase dá a sensação que a decisão pode ter sido tomada apenas com base nas respostas dos leitores... e isso já me parece uma "abertura" demasiado radical.


1 resposta(s) para “Público possibilita debate sobre foto de capa”

  1. Anonymous carlos cruz 

    O material deve ou n?o ser mostrado ao p?blico leitor antes de publicado, caso exista um interesse da empresa jornal?stica em "abrir suas portas" ao p?blico. Funciona como marketing, ao mesmo tempo em que demonstra a pretensa transpar?ncia do ?rg?o que fizer este tipo de trabalho junto ao p?blico leitor. Com a possibilidade de um cuidado antes da divulga??o do trabalho a ser posto em julgamento ao p?blico leitor. Explico: nem tudo,para que n?o se use de radicalismo, mas algumas coisas devem ser mostradas e partilhadas em opini?es com o p?blico. Com uma "censura" pr?via do que deve ser levado ? an?lise, ? bem poss?vel a particpa??o do p?blico leitor julgando o que deve ou n?o ser divulgado. ? jogada de marketing pura. E n?o deve ser desperdi?ada.

Responder





Quem somos

» Manuel Pinto
» Helena Sousa
» Luis Antonio Santos
» Joaquim Fidalgo
» Felisbela Lopes
» Madalena Oliveira
» Sara Moutinho
» Daniela Bertocchi
» Sergio Denicoli

» E-MAIL

Últimos posts

» Ciberjornalismo e participação dos cidadãos
» Libération procura sair da crise
» Tese de mestrado sobre Imprensa Regional
» Comunicações ao 3º Encontro Nacional de Weblogues
» "O site noticioso perfeito"
» Livro do primeiro provedor do New York Times
» Jornais diários: versões online em alta
» "A mediatização da política" - conferência de Rémy...
» CJ na TV: A mediatização da morte
» Leituras

Ligações


Arquivos

» Abril 2002
» Maio 2002
» Junho 2002
» Julho 2002
» Agosto 2002
» Setembro 2002
» Outubro 2002
» Novembro 2002
» Dezembro 2002
» Janeiro 2003
» Fevereiro 2003
» Março 2003
» Abril 2003
» Maio 2003
» Junho 2003
» Julho 2003
» Agosto 2003
» Setembro 2003
» Outubro 2003
» Novembro 2003
» Dezembro 2003
» Janeiro 2004
» Fevereiro 2004
» Março 2004
» Abril 2004
» Maio 2004
» Junho 2004
» Julho 2004
» Agosto 2004
» Setembro 2004
» Outubro 2004
» Novembro 2004
» Dezembro 2004
» Janeiro 2005
» Fevereiro 2005
» Março 2005
» Abril 2005
» Maio 2005
» Junho 2005
» Julho 2005
» Agosto 2005
» Setembro 2005
» Outubro 2005
» Novembro 2005
» Dezembro 2005
» Janeiro 2006
» Fevereiro 2006
» Março 2006
» Abril 2006
» Maio 2006
» Junho 2006
» Julho 2006
» Agosto 2006
» Setembro 2006
» Outubro 2006
» Novembro 2006
» Dezembro 2006
» Janeiro 2007

Livros

TV do futebol

» Felisbela Lopes e Sara pereira (orgs) A TV do Futebol; Porto: Campo das Letras

» Televisão e cidadania. Contributos para o debate sobre o serviço público. Manuel Pinto (coord.), Helena Sousa, Joaquim Fidalgo, Helena Gonçalves, Felisbela Lopes, Helena Pires, Luis António Santos. 2ª edição, aumentada, Maio de 2005. Colecção Comunicação e Sociedade. Campo das Letras Editores.

» Weblogs - Diário de Bordo. António Granado, Elisabete Barbosa. Porto Editora. Colecção: Comunicação. Última Edição: Fevereiro de 2004.

» Em nome do leitor. As colunas do provedor do "Público". Joaquim Fidalgo. Coimbra: Ed. Minerva. 2004

» Outras publicações do CECS

Eventos

» Conferência: A Nova Entidade Reguladora no quadro das políticas de Comunicação em Portugal (2006)

» I Congresso Internacional sobre Comunicação e Lusofonia (2005)

» Jornadas ?Dez Anos de Jornalismo Digital em Portugal: Estado da Arte e Cenários Futuros? (2005)

» Todos os eventos







Subscribe with Bloglines


Technorati Profile Powered by Blogger and Blogger Templates