Weblogue colectivo do projecto Mediascópio - CECS / Universidade do Minho | RSS: ATOM 0.3 |



Televisão: um perigo para as florestas?


Envie este post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Avizinha-se um período literalmente quente para os media portugueses, sobretudo se se mantiverem as péssimas previsões relativamente aos incêndios. Antecipando um problema que não tardará a "inflamar" os media, a TSF propôs hoje à reflexão no Fórum da manhã [que não pude ouvir até ao fim!] uma discussão sobre a mediatização/espectacularização dos incêndios. O ponto de partida foi um comentário de António Peres Metelo, para quem as televisões deveriam ser mais contidas na trasmissão em directo dos cenários de incêndio. Sem querer avançar conclusões, penso que merecem nota pelo menos duas das questões levantadas/sugeridas pelos intervenientes.

  • Haverá, de facto, alguma ligação efectiva e comprovável entre a exibição de cenas de incêndio e a motivação para atear fogo? Ou seja, a espectacularização dos incêndios é causa de alguns dos crimes cometidos nesta área?
  • Que espécie de auto-regulação podem ou devem os jornalistas promover para acautelar perversões do dever de informar?


3 resposta(s) para “Televisão: um perigo para as florestas?”

  1. Anonymous O Casulo 

    tal como na publicidade e nos video-jogos, qualquer imagem pode influenciar quem v?. N?o d?vido nada que os media influenciam os "piromaniacos" com as imagens. De certeza que eles sentem mais prazer a ver os fogos ateados por eles na televis?o. Devem-se sentir felizes por tal feito ter destaque na televis?o. Mas tamb?m penso que os media t?m ajudado na preven??o, porque se n?o dessem tanto "alarido" ? quest?o, muitas autarquias n?o se davam ao trabalho de querer "proteger e preservar" a ?rea florestal. Mas tamb?m tenho a certeza que muitos dos autarcas n?o se importariam nada que X parte arde-se para poder vender e poder construir..

  2. Anonymous PedroF 

    Para a primeira quest?o:
    "A repeti??o constante, sobretudo nas televis?es, de imagens dos inc?ndios pode levar a um efeito de imita??o?
    [Ant?nio Carvalho, Inspector-Chefe da PJ] Se o indiv?duo que v? essas imagens for suscept?vel de perturbar- -se com elas e a querer t?-las presente na impossibilidade de se deslocar at? junto delas, isso pode ser um factor de perturba??o, porque a pessoa pode querer trazer aquele cen?rio at? perto de si. Estamos perante uma situa??o cl?nica. ? como aquele que quer ser bombeiro e ateia o fogo para ir ajudar.

    J? teve em m?os algum caso em que um incendi?rio lhe disse que pegou fogo porque viu na televis?o?
    J?. Ele disse-nos que a raz?o por que tinha ateado o fogo era para ver o cen?rio, os meios em ac??o."
    (http://dn.sapo.pt/2005/08/26/tema/incendiarios_excluidos_socialmente.html)

    Para a segunda:
    "os respons?veis das esta??es portuguesas querem apenas "desempenhar o seu trabalho" e "mostrar o Pa?s tal qual ele ?"."
    REGULA??O. Em resposta ?s cr?ticas aos excessos cometidos, os respons?veis informativos contactados pelo DN manifestam-se dis- pon?veis para um acordo de auto- -regula??o, no sentido de filtrar a informa??o transmitida, mas, sublinha Moniz, desde que isso n?o vise "limitar o direito do espectador a ser informado". "A TVI est? sempre dispon?vel para discutir tudo com toda a gente, mas come?ar?, como ? natural, por faz?-lo internamente", assegura.
    Ricardo Costa, por?m, aponta o dedo ?s propostas pol?ticas de regula??o, que, em sua opini?o, "se assemelham a pura censura". "Penso, no entanto, que podemos ver se os entendimentos que existem noutros pa?ses t?m resultado pr?ticos. Mas era mais ?til que as autoridades aprendessem com o que se faz l? fora na preven??o e combate aos fogos", afirma o director da SIC Not?cias.
    J? Lu?s Marinho mostra-se aberto, em nome da RTP, para "promover essa discuss?o com as outras televis?es". No entanto, "internamente, essa reflex?o j? come?ou", garante.
    (http://dn.sapo.pt/2005/08/26/tema/tv_pode_ajudar_rejeita_caca_bruxas.html)

  3. Anonymous Guilherme Soares 

    Acho que sim, que pode haver pir?manos escondidos que, perante a espectacularidade das imagens de um grande fogo, se sintam tentados. Admito que sim. Mas da? a advogar limita??es ? informa??o vai um grande passo. Mas...
    Defendo apenas o ?bvio: n?o ao sensacionalismo, cuidado com a escolha e edi??o das imagens, evitar o excesso dos directos que pode, al?m de despertar pir?mamos, lan?ar o p?nico em popula??es; enfim o t?o almejado bom senso que falta tantas vezes ?s chefias, aos que est?o na redac??o a pensar muitas vezes apenas e s? nas audi?nciazinhas...

Responder





Quem somos

» Manuel Pinto
» Helena Sousa
» Luis Antonio Santos
» Joaquim Fidalgo
» Felisbela Lopes
» Madalena Oliveira
» Sara Moutinho
» Daniela Bertocchi
» Sergio Denicoli

» E-MAIL

Últimos posts

» Uma análise sobre o Google News
» Público possibilita debate sobre foto de capa
» Ciberjornalismo e participação dos cidadãos
» Libération procura sair da crise
» Tese de mestrado sobre Imprensa Regional
» Comunicações ao 3º Encontro Nacional de Weblogues
» "O site noticioso perfeito"
» Livro do primeiro provedor do New York Times
» Jornais diários: versões online em alta
» "A mediatização da política" - conferência de Rémy...

Ligações


Arquivos

» Abril 2002
» Maio 2002
» Junho 2002
» Julho 2002
» Agosto 2002
» Setembro 2002
» Outubro 2002
» Novembro 2002
» Dezembro 2002
» Janeiro 2003
» Fevereiro 2003
» Março 2003
» Abril 2003
» Maio 2003
» Junho 2003
» Julho 2003
» Agosto 2003
» Setembro 2003
» Outubro 2003
» Novembro 2003
» Dezembro 2003
» Janeiro 2004
» Fevereiro 2004
» Março 2004
» Abril 2004
» Maio 2004
» Junho 2004
» Julho 2004
» Agosto 2004
» Setembro 2004
» Outubro 2004
» Novembro 2004
» Dezembro 2004
» Janeiro 2005
» Fevereiro 2005
» Março 2005
» Abril 2005
» Maio 2005
» Junho 2005
» Julho 2005
» Agosto 2005
» Setembro 2005
» Outubro 2005
» Novembro 2005
» Dezembro 2005
» Janeiro 2006
» Fevereiro 2006
» Março 2006
» Abril 2006
» Maio 2006
» Junho 2006
» Julho 2006
» Agosto 2006
» Setembro 2006
» Outubro 2006
» Novembro 2006
» Dezembro 2006
» Janeiro 2007

Livros

TV do futebol

» Felisbela Lopes e Sara pereira (orgs) A TV do Futebol; Porto: Campo das Letras

» Televisão e cidadania. Contributos para o debate sobre o serviço público. Manuel Pinto (coord.), Helena Sousa, Joaquim Fidalgo, Helena Gonçalves, Felisbela Lopes, Helena Pires, Luis António Santos. 2ª edição, aumentada, Maio de 2005. Colecção Comunicação e Sociedade. Campo das Letras Editores.

» Weblogs - Diário de Bordo. António Granado, Elisabete Barbosa. Porto Editora. Colecção: Comunicação. Última Edição: Fevereiro de 2004.

» Em nome do leitor. As colunas do provedor do "Público". Joaquim Fidalgo. Coimbra: Ed. Minerva. 2004

» Outras publicações do CECS

Eventos

» Conferência: A Nova Entidade Reguladora no quadro das políticas de Comunicação em Portugal (2006)

» I Congresso Internacional sobre Comunicação e Lusofonia (2005)

» Jornadas ?Dez Anos de Jornalismo Digital em Portugal: Estado da Arte e Cenários Futuros? (2005)

» Todos os eventos







Subscribe with Bloglines


Technorati Profile Powered by Blogger and Blogger Templates