Weblogue colectivo do projecto Mediascópio - CECS / Universidade do Minho | RSS: ATOM 0.3 |




Envie este post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Sobre o fenómeno da imprensa gratuita Hoje mesmo, o grupo Recoletos, alegado candidato à compra de meios de comunicação da Lusomundo Media, lançou, no país vizinho, o diário gratuito "Qué", com uma tiragem de arranque da ordem do milhão de exemplares, e com edições (extensíveis ao online) em 12 cidades diferentes, com a particularidade de serem em parte feitas com notícias dos próprios leitores, através de um sistema de blogues pessoais e de mensagens SMS. Só para se fazer uma ideia do que isto representa, basta atentar no facto de haver em Espanha, em Setembro último, cerca de três milhões de jornais gratuitos por dia em circulação (notícia da agência Lusa). Entre nós, e na sequência da trajectória do Jornal da Região e do Destak, Metro-Lisboa é um dos últimos projectos dos quase 50 que a Metro Internacional lançou nos últimos anos, em mais de uma dúzia de países, com especial alcance em França, Polónia e Espanha. O assunto está longe de merecer entre nós a atenção que deveria, por parte da imprensa instalada. O site do Clube de Jornalistas acaba de dedicar ao tema um conjunto de peças que vale a pena ler. São muitas e diversas as questões que importa ter em consideração:

  • Concorrem os gratuitos com o leitorado habitual de jornais diários? Com todos ou com alguns em especial? Concorrem no terreno da publiciadade?
  • Que características tem o conteúdo deste tipo de imprensa?
  • O que é gratuito pode ter qualidade?
  • Que características específicas apresenta este tipo de negócio?
  • Como se posicionam os diários pagos relativamente aos gratuitos?
  • Que balanço pode ser feito da experiência das múltiplas edições do "Jornal da Região" e do Destak?
  • Que tendências indicia a expansão do fenómeno da imprensa gratuita?
  • Quais as conexões entre esse fenómeno e a "tabloidização" em países como o Reino Unido, por exemplo?
  • Qual a amplitude internacional do fenómeno?
  • Que potencial de desenvolvimento, num país como o nosso?

Como escreveu Francisco Fernández Beltrán, na revista Chasqui ("Los periódicos gratuitos tienen futuro?", nº 80, 2002):

"Independientemente de que se dirijan a los mismos lectores, o a otros, y de que pugnen diariamente por la inversión de iguales o diferentes anunciantes, lo cierto es que la prensa gratuita que se ha desarrollado en los últimos años en Europa lo ha hecho a partir de un modelo ciertamente diferenciado de la de pago. El primer rasgo distintivo es la ausencia de confrontación política. Se trata de un periodismo que pone el acento en el interés humano de los acontecimientos, más allá de las meras declaraciones partidistas y que busca sobre todo la difusión de informaciones cercanas al lector, algunas de las cuales no tienen cabida normalmente en la prensa de pago. En este sentido, resulta muy esclarecedora la apuesta de todos los gratuitos por las ediciones locales. Un hecho que no está ligado únicamente a su sistema de distribución en el transporte público metropolitano, sino que responde en gran medida a un modelo de periodismo de proximidad y que se refleja también en otros aspectos, como el tratamiento personalizado de la información, con la identificación abundante de los protagonistas de las noticias y profusión de fotografías con gente de la localidad".

Como já em tempos chamou a atenção Josef Kotzrincker, não deixa de ser enigmático que seja precisamente o jornal diário impresso (gratuito) um dos grandes fenómenos dos últimos anos, quando seria de esperar que fosse o webjornalismo a emergir e afirmar-se.

CORRECÇÃO: Ao contrário do que se diz nesta peça, a data do lançamento de "Qué" não é 17, mas 18 de Janeiro.


0 resposta(s) para “”

Responder





Quem somos

» Manuel Pinto
» Helena Sousa
» Luis Antonio Santos
» Joaquim Fidalgo
» Felisbela Lopes
» Madalena Oliveira
» Sara Moutinho
» Daniela Bertocchi
» Sergio Denicoli

» E-MAIL

Últimos posts

» Comunicação Visual e Multisemiótica O Centro ...
» DN modifica grafismo
» A ler, nos jornais de hoje Re-definições de cam...
» Ipsis verbis "Sabemos que vivimos en un mundo g...
» Rui Rio e a comunicação social De uma entrevist...
» Duas notas do Jornal da Noite
» Como combater eficazmente o terrorismo?Faz agora d...
» A "pirâmide invertida" e o webjornalismo São ai...
» UNESCO debate liberdade de expressão no ciberespaç...
» Livro de Joaquim Fidalgo: apresentação em Espinho ...

Ligações


Arquivos

» Abril 2002
» Maio 2002
» Junho 2002
» Julho 2002
» Agosto 2002
» Setembro 2002
» Outubro 2002
» Novembro 2002
» Dezembro 2002
» Janeiro 2003
» Fevereiro 2003
» Março 2003
» Abril 2003
» Maio 2003
» Junho 2003
» Julho 2003
» Agosto 2003
» Setembro 2003
» Outubro 2003
» Novembro 2003
» Dezembro 2003
» Janeiro 2004
» Fevereiro 2004
» Março 2004
» Abril 2004
» Maio 2004
» Junho 2004
» Julho 2004
» Agosto 2004
» Setembro 2004
» Outubro 2004
» Novembro 2004
» Dezembro 2004
» Janeiro 2005
» Fevereiro 2005
» Março 2005
» Abril 2005
» Maio 2005
» Junho 2005
» Julho 2005
» Agosto 2005
» Setembro 2005
» Outubro 2005
» Novembro 2005
» Dezembro 2005
» Janeiro 2006
» Fevereiro 2006
» Março 2006
» Abril 2006
» Maio 2006
» Junho 2006
» Julho 2006
» Agosto 2006
» Setembro 2006
» Outubro 2006
» Novembro 2006
» Dezembro 2006
» Janeiro 2007

Livros

TV do futebol

» Felisbela Lopes e Sara pereira (orgs) A TV do Futebol; Porto: Campo das Letras

» Televisão e cidadania. Contributos para o debate sobre o serviço público. Manuel Pinto (coord.), Helena Sousa, Joaquim Fidalgo, Helena Gonçalves, Felisbela Lopes, Helena Pires, Luis António Santos. 2ª edição, aumentada, Maio de 2005. Colecção Comunicação e Sociedade. Campo das Letras Editores.

» Weblogs - Diário de Bordo. António Granado, Elisabete Barbosa. Porto Editora. Colecção: Comunicação. Última Edição: Fevereiro de 2004.

» Em nome do leitor. As colunas do provedor do "Público". Joaquim Fidalgo. Coimbra: Ed. Minerva. 2004

» Outras publicações do CECS

Eventos

» Conferência: A Nova Entidade Reguladora no quadro das políticas de Comunicação em Portugal (2006)

» I Congresso Internacional sobre Comunicação e Lusofonia (2005)

» Jornadas ?Dez Anos de Jornalismo Digital em Portugal: Estado da Arte e Cenários Futuros? (2005)

» Todos os eventos







Subscribe with Bloglines


Technorati Profile Powered by Blogger and Blogger Templates