Weblogue colectivo do projecto Mediascópio - CECS / Universidade do Minho | RSS: ATOM 0.3 |




Envie este post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Lusa: "Índícios de 'cedência' a pressões governamentais" Conselho de Redacção (CR) da Lusa considera, em comunicado emitido ontem, depois de uma reunião com a directora de Informação da agência, que o processo sobre as notícias e desmentidos a respeito da instalação da Internet de banda larga em todas as escolas públicas do país indicia uma caso de "cedência" a pressões governamentais. O comunicado do CR, citado pelo Público, refere que "analisando todo o processo, o CR considera que o mesmo indicia situações de cedência a pressões do Governo, traduzida na difusão das referidas notícias." Vale a pena continuar a acompanhar a notícia do Público: "Para comprovar o 'envolvimento do Governo' na série de notícias e desmentidos sobre o caso, o CR assinala o facto de Dulce Anahory, assessora do ministro do Ciência, ter telefonado a uma das três jornalistas que investigaram as declarações do primeiro-ministro sobre a banda larga, assegurando-lhe que a notícia que dava conta de que nem todas as escolas estavam equipadas com tal sistema seria 'corrigida' por uma das fontes. 'Nesse mesmo telefonema, a assessora disse ainda que a Lusa iria receber de seguida, por telefone, uma série de desmentidos', pode ler-se. A 'rectificação' acabou por ser feita somente por uma das fontes contactadas. O CR nota que Dulce Anahory contactou 'diversas vezes' a Lusa 'quer para falar com as jornalistas autoras da notícia, quer para falar com o editor ou até mesmo com 'um director de serviço'". Mais adiante, escreve ainda o Público: "Confrontada com a posição do CR, Deolinda Almeida disse não ter tido 'conhecimento de qualquer pressão' e sublinhou que 'ouvir todas as partes não significa 'cedência'. Isto, porque a directora de informação defendeu que as jornalistas deviam ter ouvido o Ministério da Ciência quando elaboraram a notícia: a responsável acusou-as de terem redigido informação que foi 'destruída por falta de acompanhamento'. Apesar de concordar com o princípio do contraditório, o CR lembrou que 'neste caso específico a notícia poderia ter saído antes de contactado' o ministério, classificando a mesma como 'um bom exercício de jornalismo e um exemplo de investigação jornalística'. Na morosa reunião do CR foi também ouvido o editor da secção Nacional, António Caeiro, sobre a "nova versão" de uma notícia que contrariava por completo um outra colocada em linha cerca de uma hora antes e assinada pelas mesmas três jornalistas. Nessa notícia, Caeiro citava uma fonte anónima do Ministério da Ciência para 'corrigir' a versão anterior e garantir a banda larga em todas as escolas. De acordo com o CR é 'inaceitável que se corrija uma notícia citando uma fonte não identificada'.


0 resposta(s) para “”

Responder





Quem somos

» Manuel Pinto
» Helena Sousa
» Luis Antonio Santos
» Joaquim Fidalgo
» Felisbela Lopes
» Madalena Oliveira
» Sara Moutinho
» Daniela Bertocchi
» Sergio Denicoli

» E-MAIL

Últimos posts

» "O combate da liberdade exige inteligência" "(......
» Sonae lança OPA sobre a Portugal Telecom Numa ine...
» Ainda os cartoons sobre Maomé: Os valores e os mod...
» Bom jornalismo = mau negócio? Poderá o jornalismo...
» Instituído provedor na TVE e RNE. E na RDP e RDP? ...
» Manifestação da Função Pública em Lisboa Correio ...
» Western Union acaba com telegramas Aconteceu na s...
» ERC: novas regras de financiamento De acordo c...
» Foi ou não a cobertura jornalística de Timor-Leste...
» Duas referências no Diário de Notícias

Ligações


Arquivos

» Abril 2002
» Maio 2002
» Junho 2002
» Julho 2002
» Agosto 2002
» Setembro 2002
» Outubro 2002
» Novembro 2002
» Dezembro 2002
» Janeiro 2003
» Fevereiro 2003
» Março 2003
» Abril 2003
» Maio 2003
» Junho 2003
» Julho 2003
» Agosto 2003
» Setembro 2003
» Outubro 2003
» Novembro 2003
» Dezembro 2003
» Janeiro 2004
» Fevereiro 2004
» Março 2004
» Abril 2004
» Maio 2004
» Junho 2004
» Julho 2004
» Agosto 2004
» Setembro 2004
» Outubro 2004
» Novembro 2004
» Dezembro 2004
» Janeiro 2005
» Fevereiro 2005
» Março 2005
» Abril 2005
» Maio 2005
» Junho 2005
» Julho 2005
» Agosto 2005
» Setembro 2005
» Outubro 2005
» Novembro 2005
» Dezembro 2005
» Janeiro 2006
» Fevereiro 2006
» Março 2006
» Abril 2006
» Maio 2006
» Junho 2006
» Julho 2006
» Agosto 2006
» Setembro 2006
» Outubro 2006
» Novembro 2006
» Dezembro 2006
» Janeiro 2007

Livros

TV do futebol

» Felisbela Lopes e Sara pereira (orgs) A TV do Futebol; Porto: Campo das Letras

» Televisão e cidadania. Contributos para o debate sobre o serviço público. Manuel Pinto (coord.), Helena Sousa, Joaquim Fidalgo, Helena Gonçalves, Felisbela Lopes, Helena Pires, Luis António Santos. 2ª edição, aumentada, Maio de 2005. Colecção Comunicação e Sociedade. Campo das Letras Editores.

» Weblogs - Diário de Bordo. António Granado, Elisabete Barbosa. Porto Editora. Colecção: Comunicação. Última Edição: Fevereiro de 2004.

» Em nome do leitor. As colunas do provedor do "Público". Joaquim Fidalgo. Coimbra: Ed. Minerva. 2004

» Outras publicações do CECS

Eventos

» Conferência: A Nova Entidade Reguladora no quadro das políticas de Comunicação em Portugal (2006)

» I Congresso Internacional sobre Comunicação e Lusofonia (2005)

» Jornadas ?Dez Anos de Jornalismo Digital em Portugal: Estado da Arte e Cenários Futuros? (2005)

» Todos os eventos







Subscribe with Bloglines


Technorati Profile Powered by Blogger and Blogger Templates