Weblogue colectivo do projecto Mediascópio - CECS / Universidade do Minho | RSS: ATOM 0.3 |



O 25 de Abril e os filhos de um Deus menor


Envie este post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



"(...) Há uns anos, no JN, ao escrever um texto para comemorar a data [do 25 de Abril de 1974], resolvi não enveredar pelo caminho da grande política (a guerra colonial, a PIDE, a censura, o partido único), mas sim mostrar aos mais jovens o desconforto, a insatisfação, de pessoas como eu que, em Portugal, se sentiam como filhos de um Deus menor. Falei de um regime que me dizia que filmes ou peças teatrais podia ver, ou não, que revistas e jornais podia ler, ou não, que países podia visitar, ou não. Falei de coisas abstrusas de um regime que proibia a Coca-Cola, que nos liceus não misturava meninos e meninas, que exigia (oh, supremo ridículo!) licença de uso e porte de... isqueiro (...)". Sérgio de Andrade, Eu Comemoro. Jornal de Notícias, 25.4.2006


2 resposta(s) para “O 25 de Abril e os filhos de um Deus menor”

  1. Anonymous Arrebenta 

    Memorabilia


    Porque esta ? a derradeira noite das trevas. Porque esta ? a noite do tempo das pessoas que ainda n?o podiam falar. Porque esta ? a noite das sombras de quem ainda n?o sabia que se podia falar. Porque esta ? a noite do tempo em que a escrita n?o era mais do que um macabro passaporte para o derradeiro ex?lio. Pois este ? o tempo da treva, em que cada um enterrava em si pr?prio o sepulcro dos seus mais dolorosos pensamentos.

    Este ? o tempo da vig?lia. ? a Noite. ? o espa?o c?smico da Mem?ria. ? o lugar de lembrar os que morriam s? por sonhar. O lugar dos que passavam os dias e as noites e as noites e os dias sem luz, e afundados nas mais h?midas celas dos fracassos desta na??o medieval. ? o tempo em que os Portugueses eram os Iraquianos de outras d?cadas atr?s. ? o tempo em que os jovens se encerravam em cubos ardentes de campos de concentra??o tropicais. ? o tempo em que ainda havia leis que impediam de se andar descal?o nas ruas, mas permitiam que tantos descal?os palmilhassem as sombras dessas mesmas ruas.

    ? o tempo da noite das bocas cerradas. ? o tempo dos mutilados. ? o tempo dos que voltaram sem olhos, e sem m?os e sem pernas. ? o tempo dos sentados para sempre em cadeiras de rodas de um Regime Im?vel. ? o tempo dos que enlouqueceram com o que viram. ? o tempo dos que nunca regressaram. ? o tempo dos que ficaram sem rasto e sem despojos. ? o tempo de uma M?quina Infernal que finalmente ir? tombar.

    Esta noite ? um tempo de nojo e de vig?lia. ? a noite em que a Voz se erguer? ao fundo, at? clamar, por entre as cinzas, por todas as cores do Universo. Esta ? a maior noite da nossa mem?ria colectiva. Esta ? a noite de agradecer. E de dizer "obrigado" a todos os nossos amigos que nos permitiram, nesse tempo, escrever agora assim.

    Esta ? a noite de um tempo que NUNCA MAIS poder? voltar.

    Obrigado.

  2. Anonymous Paulo 

    Em cada grito de cada homem, em cada grito de medo soltado por uma crian?a ou?o o ruido das "corretentes" que forja o esp?rito.

    Neste blog vi filhos de um deus menor que "choram" todos os dias: www.aspigcentro.blogspot.com

    Val apena ver...
    Um abra?

Responder





Quem somos

» Manuel Pinto
» Helena Sousa
» Luis Antonio Santos
» Joaquim Fidalgo
» Felisbela Lopes
» Madalena Oliveira
» Sara Moutinho
» Daniela Bertocchi
» Sergio Denicoli

» E-MAIL

Últimos posts

» El País projecta e prepara o pós-papel
» "Apaguem-na!", dizem eles
» Seriam capazes?
» Publicidade à força
» Olhando outra vez a morte dos outros
» Quando os media transformam a morte em espectáculo...
» Encontros e debates em Santiago de Compostela
» O lugar da televisão nas nossas vidas
» EUA: Televisões contra FCC
» Lusocom 2006

Ligações


Arquivos

» Abril 2002
» Maio 2002
» Junho 2002
» Julho 2002
» Agosto 2002
» Setembro 2002
» Outubro 2002
» Novembro 2002
» Dezembro 2002
» Janeiro 2003
» Fevereiro 2003
» Março 2003
» Abril 2003
» Maio 2003
» Junho 2003
» Julho 2003
» Agosto 2003
» Setembro 2003
» Outubro 2003
» Novembro 2003
» Dezembro 2003
» Janeiro 2004
» Fevereiro 2004
» Março 2004
» Abril 2004
» Maio 2004
» Junho 2004
» Julho 2004
» Agosto 2004
» Setembro 2004
» Outubro 2004
» Novembro 2004
» Dezembro 2004
» Janeiro 2005
» Fevereiro 2005
» Março 2005
» Abril 2005
» Maio 2005
» Junho 2005
» Julho 2005
» Agosto 2005
» Setembro 2005
» Outubro 2005
» Novembro 2005
» Dezembro 2005
» Janeiro 2006
» Fevereiro 2006
» Março 2006
» Abril 2006
» Maio 2006
» Junho 2006
» Julho 2006
» Agosto 2006
» Setembro 2006
» Outubro 2006
» Novembro 2006
» Dezembro 2006
» Janeiro 2007

Livros

TV do futebol

» Felisbela Lopes e Sara pereira (orgs) A TV do Futebol; Porto: Campo das Letras

» Televisão e cidadania. Contributos para o debate sobre o serviço público. Manuel Pinto (coord.), Helena Sousa, Joaquim Fidalgo, Helena Gonçalves, Felisbela Lopes, Helena Pires, Luis António Santos. 2ª edição, aumentada, Maio de 2005. Colecção Comunicação e Sociedade. Campo das Letras Editores.

» Weblogs - Diário de Bordo. António Granado, Elisabete Barbosa. Porto Editora. Colecção: Comunicação. Última Edição: Fevereiro de 2004.

» Em nome do leitor. As colunas do provedor do "Público". Joaquim Fidalgo. Coimbra: Ed. Minerva. 2004

» Outras publicações do CECS

Eventos

» Conferência: A Nova Entidade Reguladora no quadro das políticas de Comunicação em Portugal (2006)

» I Congresso Internacional sobre Comunicação e Lusofonia (2005)

» Jornadas ?Dez Anos de Jornalismo Digital em Portugal: Estado da Arte e Cenários Futuros? (2005)

» Todos os eventos







Subscribe with Bloglines


Technorati Profile Powered by Blogger and Blogger Templates