Weblogue colectivo do projecto Mediascópio - CECS / Universidade do Minho | RSS: ATOM 0.3 |



Olhando outra vez a morte dos outros


Envie este post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Retomando a ideia do post anterior (assinado por Felisbela Lopes) relativamente à tendência dos media para espectacularizar a morte, diria que a morte se impõe nos media por um "fazer-se sentir", um imperativo de participação colectiva na dor alheia. Foi assim com a morte da Lady Di, com a morte de Féher e com a morte de João Paulo II. A morte é o climax da tragédia e tem uma propriedade essencialmente aglutinadora (a morte é afinal a única vicissitude inevitavelmente comum a todos os homens). É, por isso, insistentemente perseguida pelos media, sendo, aliás, por norma uma notícia demorada. Nesta lógica de uma espécie de "jornalismo de luto", o que os media fazem hoje é também prolongar o nosso próprio sofrimento. Sabendo, porém, que esta abertura da dor da morte ao espaço público muito convém aos media, seria ingénuo encerrar as transmissões em directo num gesto de pura solidariedade. Talvez valesse, pois, a pena procurar perceber por que é que os media nos mantêm olhando a morte dos outros. É que, como diz hoje Miguel Gaspar no DN (a propósito da transmissão em directo do funeral de Francisco Adam), «no luto televisivo, o pudor deixou de envolver a morte: tudo tem de ser exposto para que a ilusão continue. E a morte seja apenas um episódio que já passou.» Apetecer-me-ia parafrasear Vergílio Ferreira:

«O que mais me intriga e dói na nossa morte, como vemos na dos outros, é que nada se perturba com ela na vida normal do mundo. Mesmo que sejas uma personagem histórica, tudo entra de novo na rotina como se nem tivesses existido. O que mais podem fazer-te é tomar nota do acontecimento e recomeçar. (...) Repara no que acontece com a morte dos outros e ficas a saber que o universo se está nas tintas para que morras ou não.»
Vergílio Ferreira, Escrever
Apesar da exaltação emotiva promovida sobretudo pela TVI, mas também por alguma imprensa, daqui a nada os "Morangos com Açucar" entrarão de novo na rotina... quem sabe até como se o Dino nem tivesse existido.


1 resposta(s) para “Olhando outra vez a morte dos outros”

  1. Anonymous Ines Aroso 

    Nao conhecia este texto de Vergilio Ferreira, mas acho muito bem certeiro. No entanto, embora seja verdade que o universo est?-se nas tintas, a familia, amigos, etc. n?o...Sofrem muito! Mas mesmo assim, para eles a vida continua...

Responder





Quem somos

» Manuel Pinto
» Helena Sousa
» Luis Antonio Santos
» Joaquim Fidalgo
» Felisbela Lopes
» Madalena Oliveira
» Sara Moutinho
» Daniela Bertocchi
» Sergio Denicoli

» E-MAIL

Últimos posts

» Quando os media transformam a morte em espectáculo...
» Encontros e debates em Santiago de Compostela
» O lugar da televisão nas nossas vidas
» EUA: Televisões contra FCC
» Lusocom 2006
» Leituras
» "Os Dias Loucos do PREC"
» Os media e a democracia - o que diz Ramonet
» "Em casa de ferreiro"
» Ipsis verbis

Ligações


Arquivos

» Abril 2002
» Maio 2002
» Junho 2002
» Julho 2002
» Agosto 2002
» Setembro 2002
» Outubro 2002
» Novembro 2002
» Dezembro 2002
» Janeiro 2003
» Fevereiro 2003
» Março 2003
» Abril 2003
» Maio 2003
» Junho 2003
» Julho 2003
» Agosto 2003
» Setembro 2003
» Outubro 2003
» Novembro 2003
» Dezembro 2003
» Janeiro 2004
» Fevereiro 2004
» Março 2004
» Abril 2004
» Maio 2004
» Junho 2004
» Julho 2004
» Agosto 2004
» Setembro 2004
» Outubro 2004
» Novembro 2004
» Dezembro 2004
» Janeiro 2005
» Fevereiro 2005
» Março 2005
» Abril 2005
» Maio 2005
» Junho 2005
» Julho 2005
» Agosto 2005
» Setembro 2005
» Outubro 2005
» Novembro 2005
» Dezembro 2005
» Janeiro 2006
» Fevereiro 2006
» Março 2006
» Abril 2006
» Maio 2006
» Junho 2006
» Julho 2006
» Agosto 2006
» Setembro 2006
» Outubro 2006
» Novembro 2006
» Dezembro 2006
» Janeiro 2007

Livros

TV do futebol

» Felisbela Lopes e Sara pereira (orgs) A TV do Futebol; Porto: Campo das Letras

» Televisão e cidadania. Contributos para o debate sobre o serviço público. Manuel Pinto (coord.), Helena Sousa, Joaquim Fidalgo, Helena Gonçalves, Felisbela Lopes, Helena Pires, Luis António Santos. 2ª edição, aumentada, Maio de 2005. Colecção Comunicação e Sociedade. Campo das Letras Editores.

» Weblogs - Diário de Bordo. António Granado, Elisabete Barbosa. Porto Editora. Colecção: Comunicação. Última Edição: Fevereiro de 2004.

» Em nome do leitor. As colunas do provedor do "Público". Joaquim Fidalgo. Coimbra: Ed. Minerva. 2004

» Outras publicações do CECS

Eventos

» Conferência: A Nova Entidade Reguladora no quadro das políticas de Comunicação em Portugal (2006)

» I Congresso Internacional sobre Comunicação e Lusofonia (2005)

» Jornadas ?Dez Anos de Jornalismo Digital em Portugal: Estado da Arte e Cenários Futuros? (2005)

» Todos os eventos







Subscribe with Bloglines


Technorati Profile Powered by Blogger and Blogger Templates