Weblogue colectivo do projecto Mediascópio - CECS / Universidade do Minho | RSS: ATOM 0.3 |



Droga e DVD's


Envie este post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Há meia dúzia de anos o Expresso chegava às pequenas cidades a meio da manhã, às vezes até perto do meio dia. Hoje, às 10h30, estava esgotado em todas as bancas de Águeda (imagino que noutras localidades do país também)! No dia em que se estreia um semanário concorrente (que também esgotou pelas 11h), o Expresso revela-se imbatível nas vendas. Graças aos DVD's, não há dúvida nenhuma! E quando acabarem os DVD's? Este é um aspecto em que José António Saraiva terá razão. Quando passar o efeito dos DVD's, o Expresso terá que continuar a oferecer uma "droga" para conseguir vender 200 mil exemplares. Quanto ao Sol, veremos se o tempo confirma que se trata de "um jornal que vale por si"!


1 resposta(s) para “Droga e DVD's”

  1. Anonymous Arrebenta 

    A ?ltima noite sem Sol

    Hoje ? uma longa noite de vig?lia. Amanh?, quando voltarmos a despertar, j? haver? dois s?is no horizonte. Um traz a Vida, o outro, a Farsa.

    N?s atravessamos um tempo de trevas, e, por detr?s do seu aleg?rico ox?moro, este "Sol" nada mais trar? do que mais noite.

    Nada, nele, ou em tudo o que o envolve, ? novidade ou surpresa. No final do passado 2005, num mesmo dia de dor, espanto e sobressalto, tamb?m compreendemos, que, subitamente, num momento cr?tico de viragem, Portugal tinha decidido enrolar-se, como um feto, em redor do seu pr?prio umbigo: aquela miraculosa gera??o interm?dia, dos 30, 40 e 50 anos, que deveria ter-se ent?o manifestado, na cria??o da figura de um Presidente da Rep?blica para um Novo Mil?nio, pura e simplesmente, n?o existia, ou tinha sido estrangulada. Em troca da renova??o, apresentavam-nos um prato reputado intrag?vel, Cavaco Silva, e o resto da hist?ria j? voc?s conhecem: o anci?o Soares que se presta a fazer-lhe frente, o ressentido Alegre que aparece, para fazer frente ? frente da frente, e dois candidatos laterais, que ali foram, medir for?as, e acertar d?cimas, nas contagens de eleitorado.

    Nunca o disse, e vou diz?-lo aqui: Cavaco, Soares e Alegre n?o passavam de tr?s cangalhos, obsoletos, e representantes de um Passado que a minha gera??o, entre outras, tinha tacitamente considerado como fazendo parte da Hist?ria, n?o de qualquer futuro.
    N?s, jovens de Portugal, fomos escandalosamente burlados, por uma fatia geracional, respons?vel por muito do atraso e dos abusos que diariamente presenciamos, e que, afrontosamente, mostrava, preto no branco, que n?o estava disposta a abandonar os postos de vigia e conserva??o do Estado de Coisas: o Sistema "renovava-se", voltando, descaradamente, a chamar ao palco os velhos actores empalhados.

    A Intoxica??o Social, que, grave, e quotidianamente, detectamos estar ao servi?o desse mesmo miser?vel Poder Pol?tico, tamb?m necessitava agora da sua "renova??o". E tamb?m a vai ter: chama-se "Sol" e ? a Sombra Enorme da mir?ade de coisas m?rbidas que, durante d?cadas, enformaram esta coisa a que nos confin?mos: a estrangulada Cauda da Europa.

    O "Sol" nada traz de inovador. Se quiserem uma simples imagem, que possam transmitir aos vossos amigos, ele ? uma farta opera??o de cosm?tica, que, atrav?s do colorido de l?pis de cor virtuais, tenta apresentar, como uma banda desenhada renovada, a intrag?vel hist?ria parda a que nos reduziram o nosso dia-a-dia nacional.

    H? outra coisa que ? fundamental que aqui se diga: o Arquitecto Saraiva ? um med?ocre; mais, ele ? o med?ocre t?pico portugu?s, o manga-de-alpaca das meias ideias, das palavras fracotas e das iniciativas de curto alcance. ? capaz de tudo, e est?, novamente, numa posi??o para ser regiamente pago para poder ser, em plena luz do dia, capaz de tudo.

    O Sonho Portugu?s sempre passou por castrar os seus melhores talentos, e entregar os lugares de topo a indiv?duo dos quais a Hist?ria n?o reter?... nada. Como corol?rio, a pir?mide do med?ocre ? um lugar volum?trico, cujo v?rtice ? o Med?ocre, por antonom?sia, e que se vai alargando, na direc??o da base, mediante o acrescentar de med?ocres ainda mais med?ocres, ou de indiv?duos cuja desfa?atez e falta de verticalidade permitem servir sob as ordens de algu?m que sabem ser profunda, e irremediavelmente... med?ocre.

    N?s, cidad?os que vivemos outros mundos e outros horizontes, contamos com mais um inimigo no nosso campo. J? deslig?vamos os notici?rios, pelos insuport?veis e manipulados vinte minutos de v?mito futebol?stico, que, simultaneamente, tentavam apresentar, como empolgante, uma vertente pretensamente desportiva, que toda a gente sabe ser um dos rostos da Actividade Criminosa, em Portugal. Comam-na durante meia hora, mastrubem-se com os "?dolos" por ela criados, esque?am-se de que, l? para o fim, ou em bandas rotativas de rodap?, est?o a desfilar, vertiginosamente, as not?cias que vos v?o amolgar profundamente o Quotidiano, o Futuro, e, mesmo, a vis?o de sonhos passados. Esque?am os jornais: h? quem tenha poderes -- sempre os mesmos -- para comprar capas e cadernos inteiros de revistas, reportagens forjadas, branqueamento de personagens e processos, douramento de p?lulas inexistentes, venenosas e omnipresentes.

    No seu arrancar, a Blogosfera Portuguesa dever?, um dia, ter sonhado com tornar-se o nosso pequeno contributo para a mar? informativa do cidad?o comum da Aldeia Global: troca imediata de informa??es, coment?rios l?cidos, trabalho gratuito, para oferecer a amigos e leitores desconhecidos, um pouco do nosso melhor talento. O que seria o "Braganza Mothers", se pudesse ter, por detr?s, todos os dinheiros turvos da Opus Dei...

    Felizmente n?o os temos, e, felizmente, ainda estamos a conseguir escapar a outra mar? ainda mais preocupante, a desta roda livre de palavras e murm?rios se estar toda a alinhar, e a importar, para o seu lugar de "graffiti" virtual, a massa inteira dos v?cios de forma e rela??o da nossa Realidade Enferma.

    Como conclus?o, hoje, curiosamente, Benedito XVI, pessoa sobre a qual todos sabem o que penso, ter? citado -- contaram-me -- a figura de algu?m que faz parte dos meus her?is, Constantino XI, Pale?logo, o derradeiro lutador pela independ?ncia das muralhas de Constantinopla contra os avan?os do Infiel Turco. Dever? ter sido a ?nica vez em que Ratzinger e eu teremos abordado o mesmo tema da mesma forma, o que n?o deixou de me surpreender. Com a morte de Jo?o VIII, Pale?logo, o ?ltimo Constantino ter-se-? ajoelhado, numa c?lebre pedra de Mistras, e recebido, no Despotado da Acaia, a heran?a imperial, com a qual se apresentou, duas semanas depois, em 13 de Novembro de 1448, ?s portas de Constantinopla. O seu reinado foi curto, e durou, como se sabe, at? ? c?lebre noite de 30 de Maio de 1453. Com a Queda da Cidade, quase deserta e empobrecida, celebravam-se as ex?quias de mais de dois mil?nios de Luz e Civiliza??o Romanas.

    Esta noite, a ?ltima noite sem "Sol", ? como essa Noite de Mistras. Em conjunto, mais uma vez, vamos ter de partir, para a defesa das ?ltimas muralhas da Luz, e ? para essa terr?vel viagem, como para tantas outras, eventualmente menores, e passadas, que, mais uma vez, vos convido.

    Apenas vos menti numa coisa: esta ? a ?ltima noite, mas j? ? uma noite com "Sol". Ele est? aqui (www.sol.pt). Pedir-vos que resistissem a visit?-lo era um pedido equivalente ao de Eva, feito pelo Criador. Eu sei que s?o humanos, e transgredir?o, porque eu tamb?m sou, e tamb?m j? l? fui.

    Coragem.

    (Nota, o Basileus citado por Ratzinger ? Manuel II, Pale?logo. A incorrec??o em nada subverte o sentido do texto)

    http://braganza-mothers.blogspot.com/

Responder





Quem somos

» Manuel Pinto
» Helena Sousa
» Luis Antonio Santos
» Joaquim Fidalgo
» Felisbela Lopes
» Madalena Oliveira
» Sara Moutinho
» Daniela Bertocchi
» Sergio Denicoli

» E-MAIL

Últimos posts

» "Sol" online e com estatuto editorial
» O que esperamos do semanário "Sol"?
» De volta ao 11 de Setembro
» Leitores editam peça da Wired News
» "Ponto Final"
» Docência em Ciências da Comunicação
» Os jovens e os media
» A era da intercomunicação
» SJ contra certas disposições da Proposta de Lei de...
» Nova revista científica

Ligações


Arquivos

» Abril 2002
» Maio 2002
» Junho 2002
» Julho 2002
» Agosto 2002
» Setembro 2002
» Outubro 2002
» Novembro 2002
» Dezembro 2002
» Janeiro 2003
» Fevereiro 2003
» Março 2003
» Abril 2003
» Maio 2003
» Junho 2003
» Julho 2003
» Agosto 2003
» Setembro 2003
» Outubro 2003
» Novembro 2003
» Dezembro 2003
» Janeiro 2004
» Fevereiro 2004
» Março 2004
» Abril 2004
» Maio 2004
» Junho 2004
» Julho 2004
» Agosto 2004
» Setembro 2004
» Outubro 2004
» Novembro 2004
» Dezembro 2004
» Janeiro 2005
» Fevereiro 2005
» Março 2005
» Abril 2005
» Maio 2005
» Junho 2005
» Julho 2005
» Agosto 2005
» Setembro 2005
» Outubro 2005
» Novembro 2005
» Dezembro 2005
» Janeiro 2006
» Fevereiro 2006
» Março 2006
» Abril 2006
» Maio 2006
» Junho 2006
» Julho 2006
» Agosto 2006
» Setembro 2006
» Outubro 2006
» Novembro 2006
» Dezembro 2006
» Janeiro 2007

Livros

TV do futebol

» Felisbela Lopes e Sara pereira (orgs) A TV do Futebol; Porto: Campo das Letras

» Televisão e cidadania. Contributos para o debate sobre o serviço público. Manuel Pinto (coord.), Helena Sousa, Joaquim Fidalgo, Helena Gonçalves, Felisbela Lopes, Helena Pires, Luis António Santos. 2ª edição, aumentada, Maio de 2005. Colecção Comunicação e Sociedade. Campo das Letras Editores.

» Weblogs - Diário de Bordo. António Granado, Elisabete Barbosa. Porto Editora. Colecção: Comunicação. Última Edição: Fevereiro de 2004.

» Em nome do leitor. As colunas do provedor do "Público". Joaquim Fidalgo. Coimbra: Ed. Minerva. 2004

» Outras publicações do CECS

Eventos

» Conferência: A Nova Entidade Reguladora no quadro das políticas de Comunicação em Portugal (2006)

» I Congresso Internacional sobre Comunicação e Lusofonia (2005)

» Jornadas ?Dez Anos de Jornalismo Digital em Portugal: Estado da Arte e Cenários Futuros? (2005)

» Todos os eventos







Subscribe with Bloglines


Technorati Profile Powered by Blogger and Blogger Templates