Weblogue colectivo do projecto Mediascópio - CECS / Universidade do Minho | RSS: ATOM 0.3 |



Ética? Qual ética?


Envie este post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Inadmissível. É isto que, no mínimo, devemos dizer do que a comunicação social (de um modo generalizado) tem feito com a criança de Viseu - que toda a gente lembrará sempre não só pelos abusos e violências de que foi vítima como também pelo nome próprio. Depois de já por várias vezes se ter gritado contra esta insensibilidade que é a revelação do nome próprio de menores abusados (até o provedor do Público escreveu sobre isso - em 2 de Julho passado), é mesmo assim que a comunicação social se volta a referir à menina de Viseu: pelo nome próprio. Sem qualquer pudor, o Correio da Manhã repete, hoje (dia em que começa, em Coimbra, o julgamento dos pais) o nome da criança pelo menos 4 vezes num só texto (inclusive em título). Intolerável. É talvez demasiado branda esta classificação para o que sugeriu Isabel Stilwell, na Notícias Magazine, de sábado passado, sobre este caso da bebé de Viseu. Apesar de admitir que «a lei e a ética mandam que não se utilize o verdadeiro nome de uma criança e essa é uma regra que acolhemos», Isabel Stilwell ousa repetir, num texto de uns 2 ou 3 mil caracteres, pelo menos uma boa meia dúzia de vezes o nome da bebé. Além disso, atreve-se (é mesmo isso que faz, um atrevimento) a sugerir que «o tribunal aproveite este preciso momento para lhe mudar imediatamente o nome, uma possiblidade que a lei prevê. Para que a sua vida comece realmente de novo.» Não é isto "chutar" para o tribunal a correcção de um erro que os jornalistas tinham o dever de ter evitado? Não é isto uma hipocrisia, sem qualquer sentido de responsabilidade pelo que se acaba de fazer ao longo de um texto de uns 2 ou 3 mil caracteres em que se repete o erro pelo menos uma meia dúzia de vezes? Era bom que o Conselho Deontológico do Sindicato dos Jornalistas (e se calhar a ERC também) se pronunciassem sobre estes procedimentos e "descaramentos" de profissionais da informação.


4 resposta(s) para “Ética? Qual ética?”

  1. Anonymous SoNosCredita 

    assino por baixo!

  2. Anonymous O escriba 

    O Jornal de Not?cias de hoje (19 Julho) faz o mesmo. O nome da crian?a surge no t?tulo e no primeiro par?grafo do texto. Diz assim a al?nea d) do artigo 14.? do Estatuto do Jornalista ((Lei n.? 1/99 de 13 de Janeiro):
    "d) N?o identificar, directa ou indirectamente, as v?timas de crimes contra a liberdade e autodetermina??o sexual, bem como os menores que tiverem sido objecto de medidas tutelares sancionat?rias". Francamente, com profissionais destes (jornalistas, mas especialmente editores), por que ? que precisam de outro estatuto profissional? Se este n?o ? cumprido... Uma eventual comiss?o sancionat?ria vai fazer o qu?? Quem ? que ? multado? O jornalista que assina o texto ou seu respons?vel editorial? O escriba

  3. Anonymous Viagem pelas ruas da amargura 

    Vale mesmo tudo, n?o ?? Ah!, malditas audi?ncias...

  4. Anonymous tal e tal catorze 

    uma boa parte da CS portuguesa entrou em orbita ! ah uma arrogancia perfeitamente paranoide ... convenceram-se que sao intocaveis e de que controlam a sociedade. Na verdade o que querem eh ajudar a vender ... sem escrupulos ! Ha dois tipos distintos : o estilo psicopatico de tipo Felicia Cabrita e o elaborado em gabinete (mais perigoso ainda) de que nao se sabe o nome.

Responder





Quem somos

» Manuel Pinto
» Helena Sousa
» Luis Antonio Santos
» Joaquim Fidalgo
» Felisbela Lopes
» Madalena Oliveira
» Sara Moutinho
» Daniela Bertocchi
» Sergio Denicoli

» E-MAIL

Últimos posts

» O "desamor" aos provedores
» Jornalismo escrito: "a última grande reserva"
» Notícias do "jornalismo dos cidadãos"
» Dois dias de cimeira sobre o futuro dos media
» "A semana avillez"
» Perguntas
» O futuro da publicidade
» Sobre blogues...
» Uma pergunta e um pequeno exercício
» Leituras

Ligações


Arquivos

» Abril 2002
» Maio 2002
» Junho 2002
» Julho 2002
» Agosto 2002
» Setembro 2002
» Outubro 2002
» Novembro 2002
» Dezembro 2002
» Janeiro 2003
» Fevereiro 2003
» Março 2003
» Abril 2003
» Maio 2003
» Junho 2003
» Julho 2003
» Agosto 2003
» Setembro 2003
» Outubro 2003
» Novembro 2003
» Dezembro 2003
» Janeiro 2004
» Fevereiro 2004
» Março 2004
» Abril 2004
» Maio 2004
» Junho 2004
» Julho 2004
» Agosto 2004
» Setembro 2004
» Outubro 2004
» Novembro 2004
» Dezembro 2004
» Janeiro 2005
» Fevereiro 2005
» Março 2005
» Abril 2005
» Maio 2005
» Junho 2005
» Julho 2005
» Agosto 2005
» Setembro 2005
» Outubro 2005
» Novembro 2005
» Dezembro 2005
» Janeiro 2006
» Fevereiro 2006
» Março 2006
» Abril 2006
» Maio 2006
» Junho 2006
» Julho 2006
» Agosto 2006
» Setembro 2006
» Outubro 2006
» Novembro 2006
» Dezembro 2006
» Janeiro 2007

Livros

TV do futebol

» Felisbela Lopes e Sara pereira (orgs) A TV do Futebol; Porto: Campo das Letras

» Televisão e cidadania. Contributos para o debate sobre o serviço público. Manuel Pinto (coord.), Helena Sousa, Joaquim Fidalgo, Helena Gonçalves, Felisbela Lopes, Helena Pires, Luis António Santos. 2ª edição, aumentada, Maio de 2005. Colecção Comunicação e Sociedade. Campo das Letras Editores.

» Weblogs - Diário de Bordo. António Granado, Elisabete Barbosa. Porto Editora. Colecção: Comunicação. Última Edição: Fevereiro de 2004.

» Em nome do leitor. As colunas do provedor do "Público". Joaquim Fidalgo. Coimbra: Ed. Minerva. 2004

» Outras publicações do CECS

Eventos

» Conferência: A Nova Entidade Reguladora no quadro das políticas de Comunicação em Portugal (2006)

» I Congresso Internacional sobre Comunicação e Lusofonia (2005)

» Jornadas ?Dez Anos de Jornalismo Digital em Portugal: Estado da Arte e Cenários Futuros? (2005)

» Todos os eventos







Subscribe with Bloglines


Technorati Profile Powered by Blogger and Blogger Templates